Salvador, 13 de August de 2020
Acesse aqui:                
facebookorkuttwitteremail
Erro
  • Your server has Suhosin loaded. Please follow this tutorial.
O garoto e a baleia. Por Zuggi Almeida
Ajustar fonte Aumentar Smaller Font
Sex, 26 de Junho de 2020 05:28
Zuggi_Almeida2A novidade estava alí estendida na areia da praia - o corpo inerte da baleia.

A normalidade estava estendida alí no barro do campinho - o corpo esquálido do menino.

O corpanzil da baleia foi removido mais rápido que o frágil corpo do garoto assassinado num campinho do bairro de São Marcos, em Salvador. O corpo do jovem foi regado por dez horas sob a chuva e as lágrimas da mãe com o coração estraçalhado de dor

A baleia foi estraçalhada e levada para um depósito de lixo. Já a morte do menino será depositada nas latas do esquecimento do poder público. Assim é tratado o assunto quando se refere a preto, pobre da periferia.

Por que homens conseguem amar baleias e matar meninos ? Mimar pets e matar gente de fome ? São paradoxos compartilhados pelo egoísmo.

No dia que a baleia agonizava nas águas da praia de Coutos, a mata ardia na Amazônia por conta de incêndios criminosos.A imprensa que transformou a tentativa de salvamento do cetáceo num espetáculo dantesco foi a mesma que tentou abafar a tragédia que destruía a floresta. Não houve como esconder a fumaça originada dos protestos das lideranças ambientais e da mídia internacional. A solidariedade avocada para salvar golfinhos, tartarugas ou baleias não é mesma quando o assunto é gente preta.

O genocídio da juventude,o desamparo social, o alcoolismo,as drogas e doenças mentais caem no campo da banalidade.

O extermínio de jovens negros por forças de seguranças do Estado atingem níveis catastróficos.Os absurdos cometidos pela justiça tem mandado para prisões pessoas idôneas. O fato de ser negro transforma um cidadão como principal suspeito num ambiente onde ocorra um delito. Quando o Estado por acaso reconhece o erro jurídico, o estrago causado é irreparável.

O jovem Denilson Santana de Jesus, 15 anos, assassinado com nove tiros quando jogava futebol obedeceu a mãe que dizia :

- Denilson, meu filho quando os policiais chegarem atirando você não corre. Você não deve nada a ninguém!

Denilson foi um filho obediente.

Ó mundo tão desigual.

Tão desigual !

* Zuggi Almeida é cronista e escritor.

Edit.: Crônica postada em setembro de 2019 e reeditada em junho de 2020.

Compartilhe:

 

O MELHOR DO ALDEIA NAGÔ NO SEU EMAIL

CADASTRE-SE EM NOSSO NEWSLETTER:

FOTOS DOS ÚLTIMOS EVENTOS

  • 24.02.2020.400Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 4. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.268Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 3. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.198Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 2. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.056Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 1. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.230Mudança, Magary, Motumbá. C. Grande. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.077Didá & Respeita as Minas. Campo Grande. 24 Fev 2020

Parabéns Aniversariantes do Dia

loader
publicidade

GALERIAS DE ARTE

HUMOR

  • Lava Jato_1
  • Categoria: Humor
Mais charges...

ENQUETE 1

Qual é o melhor dia para sair a noite?