Salvador, 17 de October de 2019
Acesse aqui:                
facebookorkuttwitteremail
Erro
  • Your server has Suhosin loaded. Please follow this tutorial.
Organizações da Sociedade Civil se mobilizam contra desmonte do CONANDA
Ajustar fonte Aumentar Smaller Font
Ter, 10 de Setembro de 2019 00:54

O-desmonte-no-Conselho-Nacional-dos-Direitos-da-Criana-e-do-AdolescenteOrganizações da sociedade civil de todo país que trabalham em defesa dos Direitos Humanos se mobilizam fortemente contra decreto 10.003/2019, publicado no último dia 05, quinta-feira, pelo Governo Federal que altera o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescnetes (CONANDA) tanto na sua composição, quanto no seu funcionamento:

- destitui o Conselho atual;

- reduz de 28 para 18 conselheiros pareados entre representantes governamentais e não governamentais;

- Os representantes não-governamentais serão eleitos por regras definidas pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos;

- A função de Presidente do Conselho será de definição exclusiva do Presidente da República;

- A substituição do presidente do conselho será feita por representante do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e não mais pelo Vice-presidente.

- as reuniões serão trimestrais e por vídeo conferência para aqueles que não estiverem em Brasília;

Todos esses pontos demonstram o emparelhamento do Conselho por parte do Estado, reduzindo fortemente o papel da Sociedade Civil no Órgão, que tem 28 anos de trabalho ativo. O CONANDA tem caráter deliberativo, atua como instância máxima de formulação, deliberação e controle das políticas públicas de promoção, proteção e defesa dos direitos da criança e do adolescente no Brasil, tendo enorme responsabilidade de orientação na formação de Conselhos Tutelares de todo Brasil, cujas eleições acontecerão em outubro de 2019.

O DECRETO vem reforçar medidas anteriormente tomadas pela excelentíssima ministra Damares Alves, chefe do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que vinham criando obstáculos para as reuniões do Conselho, enfraquecendo seu poder decisório. Diante do posicionamento do Ministério, a sociedade civil já havia se mobilizado por meio de mandado de segurança coletivo junto ao STJ num esforço de neutralizar os golpes infringidos ao CONANDA desde o início do mandato do atual Governo Federal. O referido Ministério promoveu o não comparecimento de conselheiros governamentais, ausência da equipe técnica, o que representa violação à regra constitucional do artigo 227, e o não custeio da participação de seus conselheiros e conselheiras da sociedade civil com o objetivo de enfraquecer e esvaziar o Órgão.

O CONANDA tem a prerrogativa de fiscalizar qualquer investimento do Ministério na área da infância, cumprindo o papel de verificar e direcionar o aplique orçamentário em programas como o Disque 100, serviço de proteção de crianças e adolescentes com foco em violência sexual, e no Programa de Proteção de Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM), sendo responsável, também, por gerir o Fundo Nacional para a Criança e o Adolescente (FNCA). A partir das medidas impostas pelo Decreto, a sociedade civil perde força também para manter a fiscalização sobre os gastos do Ministério.

Embates

Desde o início do ano houveram embates entre sociedade civil e o governo no Conselho devido divergências nas pautas. Em abril o CONANDA se posicionou contra a proposta de regulamentação do ensino domiciliar e a flexibilização de uma resolução de 2004, que considera publicidade infantil abusiva. Outro ponto importante foi a proposta do Conselho de criar um grupo de trabalho para discutir questões LGBT, como respeito a identidade de gênero e combate à violência, rejeitada pelo Ministério.

Conselhos estaduais

Os Conselhos Estaduais dos direitos da criança e dos adolescentes do Brasil lançaram ontem (05 de setembro) nota se posicionando contra as medidas impostas pelo Decreto 10.003/2019. Segundo a nota “se torna desrespeitoso qualquer ato com sombra de legalidade, que tenha como objetivo a desconstrução de quase 30 anos de atuação de um órgão com grande importância para a política da infância brasileira”.

A Avante – Educação e Mobilização Social, organização baiana integrante da Rede Nacional Primeira Infância (RNPI), conselheira suplente do CONANDA desde 2017, lamenta o desmonte promovido pelo Governo Federal a essa instância de participação, considerando de suma importância que toda sociedade se mobilize em prol da defesa das crianças e adolescentes, público considerado prioritário pela Constituição Federal/1988 do nosso País, para a revogação desse Decreto, na esperança de resgatar esse Conselho de tamanha relevância histórica, e vermos a nossa democracia fortalecida. Assim convidamos este veículo de comunicação a abraçar cobertura de um pauta que visa proteger interesses que estão acima de posicionamentos políticos, mas vão diretamente em defesa do que temos de mais valiosos em nosso País: nossas crianças e adolescentes.

A instituição coloca à disposição seu quadro de consultores associados, formados por especialistas que atuam na área há mais de 20 anos, para falar sobre a temática. Ou mesmo como articuladora de contatos no cenário nacional.

Compartilhe:

 

O MELHOR DO ALDEIA NAGÔ NO SEU EMAIL

CADASTRE-SE EM NOSSO NEWSLETTER:

FOTOS DOS ÚLTIMOS EVENTOS

  • 28.09.19.022Rock Rural Janah e Raul. Casarão. 28 Set 2019
  • 06.03.19.154Patuskada para Exu Bouzanfrain. 06 Mar 2019
  • 05.03.19.197Carnaval no Pelô. Alb 2. 05 Mar 2019
  • 05.03.19.002Carnaval no Pelô. Alb 1. 05 Mar 2019
  • 04.03.19.228-1Ilê Aiyê. Campo Grande. Alb 2. 04 Mar 2019
  • 04.03.19.198Ilê Aiyê. Campo Grande. Alb 1. 04 Mar 2019

Parabéns Aniversariantes do Dia

loader
publicidade

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS

HUMOR

  • Vai prá Cuba_1
  • Categoria: Humor
Mais charges...

ENQUETE 1

Qual é o melhor dia para sair a noite?