Salvador, 03 de August de 2021
Acesse aqui:                
Banner
facebookorkuttwitteremail
Erro
  • Your server has Suhosin loaded. Please follow this tutorial.
Mudança de verdade por John Hemingway
Ajustar fonte Aumentar Smaller Font
Cidadania
Seg, 01 de Dezembro de 2008 14:52
Montréal (Canadá) - Na terça-feira, a América vai eleger Barack Obama como seu próximo presidente.

 

A mídia corporativa continua a falar em "disputa apertada" em "estados-chave", mas não consigo imaginar que alguém que saiba alguma coisa sobre o que está acontecendo na América acredite realmente nela. Deveria ser óbvio, mesmo para os mais ferrenhos neocons, que John McCain e sua recém-nascida subordinada Sarah Palin estão prestes a ser varridos do mapa político dos Estados Unidos.

O Partido Republicano está em sérios apuros e os Democratas, sob a liderança de Obama, poderiam fazer muito mais para corrigir as obscenidades dos oito anos de mandato de Bush. Com a maioria absoluta tanto na Câmara quanto no Senado eles poderiam mudar qualquer coisa que eles quisessem, literalmente. As guerras no Afeganistão e no Iraque que desde o início eram ilegais e crimes contra a humanidade, você diz? Bem, elas poderiam terminar em um dia, simplesmente cortando as verbas que permitem a Bush continuar os massacres. Claro, eles poderiam ter feito isso lá atrás, em 2006, quando derrotaram os republicanos pela primeira vez, mas não o fizeram.

Pensando bem, em 2006, eles também podiam ter afastado Bush por qualquer um dos inúmeros crimes cometidos contra a Constituição dos EUA, mas isso também não foi possível. "Impeachment está fora da agenda", disse a recém-eleita líder da maioria Nancy Pelosi (a mesma mulher que iria mais tarde empurrar para o contribuinte o plano de socorro aos banqueiros-gangsters de Wall Street).

Falando de Wall Street e dos ladrões que continuam a dominar a América, a Câmara e o Senado controlados pelos Democratas poderiam ter votado leis, há dois anos, para regular os bancos de investimento que estavam vendendo títulos intoxicados pelo veneno "sub-prime", que agora estão promovendo a devastação financeira em todo o globo. Mas não. Eles tinham coisas melhores para fazer, embora muitos deles, estou certo, tinham boas informações do que estava acontecendo e uma visão realista de onde a bolha imobiliária e os bilhões gastos na Guerra do Iraque iriam nos levar. Eles sabiam e poderiam ter feito muita coisa quando ainda havia tempo para evitar o desastre, mas preferiam não fazer.

Em vez disso, quando começou o colapso e o mercado acionário estava perdendo uma media de 500 a 700 pontos diariamente, os democratas foram os mais entusiásticos incentivadores do brinde de 700 bilhões de dólares (para os mesmos criminosos que haviam causado o desastre). A liderança Democrática apoiou a maior transferência de riqueza dos pobres para os ricos na história do país. "Temos que salvar os bancos e os banqueiros para salvar o povo", eles nos diziam. Um pouco como os soldados dos EUA faziam quando incendiavam aldeias sul-vietnamitas com os seus isqueiros Zippo para "salvá-las" do Vietcong.

Em 2007, o Censo dos EUA informou que aproximadamente 40% da riqueza do país era controlada por apenas 1% dos mais ricos, e que 10% eram donos de quase dois terços da riqueza da América. Estes são números que foram publicados no ano passado, antes da crise e do socorro e da descida diária do mercado de ações, e eles me lembram mais a disparidade de renda em regiões do sub-Saharan ou em ditaduras latino-americanas do tipo Pinochet, não nos Estados Unidos. E todavia foi nisso que nos tornamos. Uma oligarquia onde uma minúscula minoria da população define as políticas interna e externa e a cada quatro anos realiza eleições para que o resto de nós possa participar elegendo seus representantes, que irão gerir os bens (dos Estados Unidos) para seu benefício e uso exclusivo.

Eu estou farto desse sistema de mentiras e terror e espero que, mais cedo ou mais tarde, o povo da América finalmente irá se levantar contra seus reguladores autocráticos e tomar de volta o que é seu legítimamente seu. Mudança não é apenas necessária, como nos diz Obama, ela tem que ser também verdadeira.


J.H. é escritor e tradutor. Neto de Ernest Hemingway.
Artigo publicado originalmente em http://www.diretodaredacao.com/


Compartilhe:

Última atualização em Seg, 22 de Dezembro de 2008 16:44
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

FOTOS DOS ÚLTIMOS EVENTOS

  • 24.02.2020.451Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 4. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.308Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 3. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.125Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 2. 24 Fev 2020
  • 24.02.2020.034Desfile Ilê Aiyê. C Grande. Alb 1. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.195Mudança, Magary, Motumbá. C. Grande. 24 Fev 2020
  • 24.02.20.051Didá & Respeita as Minas. Campo Grande. 24 Fev 2020

Parabéns Aniversariantes do Dia

loader
publicidade

GALERIAS DE ARTE

Mais galerias de arte...

HUMOR

  • Golpe_1
  • Categoria: Humor
Mais charges...

ENQUETE 1

Qual é o melhor dia para sair a noite?